quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

tribos indigenas no estado da Bahia.


ESTADOBAHIA
POVOSAticum
Caimbé
Cantaruré
Cariri-Xocó
Paiaiá
Pancararé
Pancaru
Pataxó
Pataxó Hã-Hã-Hãe
Quiriri
Trucá
Tumbalalá
Tupinambá de Olivença
Tupinambá do Jequitinhonha
Tuxá
Xucuru-Cariri

HISTÓRIA E PRESENÇA DOS POVOS INDÍGENAS NA BAHIA

Por José Augusto Laranjeiras Sampaio Fonte: http://www.anai.org.br/povos_ba.asp

Os povos indígenas na Bahia estão inseridos em dois contextos históricos e regionais básicos e bem definidos; o do semi-árido nordestino ao Norte do estado, praticamente todo ele conquistado por frentes de expansão da pecuária durante o século XVII, e onde boa parte da população indígena sobrevivente à conquista foi reunida até o século XVIII em aldeamentos missionários de ordens religiosas como as dos jesuítas e franciscanos; e o da Mata Atlântica e litoral ao Sul e Extremo Sul do estado, onde a conquista se iniciou ainda no século XVI e aldeamentos missionários foram implantados já na segunda metade deste, mas em que o processo de conquista, sobretudo das matas do interior, se fez de modo muito lento, prolongando-se até as décadas iniciais do século XX, quando os dois últimos bandos indígenas ainda autônomos no estado - Hã-Hã-Hãe e Baenã - foram atraídos ao Posto Indígena Caramuru do SPI (Serviço de Proteção aos Índios), no atual município de Itaju do Colônia.
[...]

desde as repercussões dos "500 anos do descobrimento" no Extremo Sul do estado, segmentos da tradicional população indígena nessa região, nomeadamente no vale do rio Jequitinhonha - municípios de Belmonte e Itapebi - que afirmam ascendências dos Camacã, Botocudos e, principalmente, Tupi, pelo que se têm apresentado como os Tupinambá do Jequitinhonha. No mesmo período vem também se organizando o povo indígena Paiaiá - de forte presença histórica em vastas extensões do semi-árido no estado - a partir de uma sua comunidade no município de Utinga na Chapada Diamantina.
Ao se iniciar a segunda década deste século, o movimento dos povos indígenas na Bahia segue crescente e vigoroso. Há, como se viu, muitas conquistas a destacar mas ainda muitas por que lutar arduamente. São hoje quinze povos indígenas na Bahia, com população próxima aos 40 mil indivíduos, vivendo em pelo menos 33 territórios, em 27 municípios e cerca de cem comunidades locais.