terça-feira, 7 de setembro de 2010

OS PAIS QUE LEVAM O FILHO PARA A IGREJA, NÃO VÃO BUSCÁ-LO NA CADEIA !!!!


           UMA  OPINIÃO INTERESSANTE !!
                     Concordem ou não.......
 
Palestra ministrada pelo médico psiquiatra Dr. Içami Tibaem Curitiba, 23/07/08. 

O palestrante é membro eleito do Board of Directors of the International Association of Group Psychotherapy. Conselheiro do Instituto Nacional de Capacitação e Educação para o Trabalho "Via de Acesso".  Professor de cursos e workshops no Brasil e no Exterior.

1. 
A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.

2. O quarto
 não é lugar para fazer criança cumprir castigo, se no quarto tiver internet, som, tv, etc... 

3. Educar
 significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo.

4. 
É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.
 

5. Informação é diferente de conhecimento.
 O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona. 

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais.
 Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente


7. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorar. Tem que entender. 

8. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, naquele momento, não quer discussão até ficar calmo. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo. 

9. Se o filho 
não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.
 

10. 
Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.
 

11. 
Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais.! Não é cabível palpite. Nunca.
 

12. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também. 

13 Videogames
 são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem 'vidas', e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.
 

14. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo. 

15. Cair na conversa do filho 
é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.
 

16. Dinheiro 'a rodo' 
para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.
   
 
Frase: "A mãe (ou o pai!) que leva o filho para a igreja, não vai buscá-lo na cadeia...". A educação religiosa é tão importante quanto a educação familiar.