quinta-feira, 18 de março de 2010

ararajuba

A ararajuba (Guarouba guarouba) é uma espécie de psitacídeo endêmica da Amazônia brasileira e ameaçada de extinção. Poucos estudos têm sido feitos com essa espéciena natureza, principalmente nos últimos anos. Este estudo visou descrever e analisar a distribuição geográfica da ararajuba e levantar informações sobre sua biologia na região doParque Nacional da Amazônia (PNA), oeste do Pará, a fim de subsidiar medidas de proteção da espécie. Levantei e analisei os registros de ocorrência da espécie por período de tempo emodelei a distribuição. Também conduzi observações na região do PNA durante o ano de 2007. A área de ocorrência da ararajuba foi reduzida nos últimos anos em pelo menos 40%em relação à distribuição original. Os modelos gerados evidenciaram importância da vegetação e do clima na ocorrência da espécie. A ararajuba se limita a uma porção menosúmida do bioma amazônico numa interface de relevo ondulado entre as planícies baixas e a borda do planalto central. Na região do PNA, a ararajuba foi encontrada em grandes bandosde tamanho variável, mas o número de indivíduos que pernoitem juntos permanece o mesmo ao longo dos dias. Localmente, a espécie é comum e fiel aos sítios reprodutivos e alimentares.A população estimada para a região é de pelo menos 484 indivíduos. A dieta é diversificada, mas não oportunista. Todos os ninhos encontrados estavam em áreas abertas sujeitas à altaperturbação humana. Não encontrei evidência de dependência quanto à espécie arbórea ou àestrutura da árvore necessária para nidificação. Os ninhos continuaram sendo usados comodormitório durante o período não-reprodutivo. Há indício de baixa taxa reprodutiva associada ao complexo sistema social e reprodutivo, em que possivelmente apenas o casal dos grandesbandos é reprodutivamente ativo, e à suposta preferência por pastagens recém-formadas e vegetação secundária. A ararajuba ainda sofre de perseguição para venda ilegal e pelodesmatamento contínuo. A distribuição coincide com o "arco do desmatamento", o que põeem sérios riscos o futuro da espécie. Iniciativas de procura por populações na porção oeste dadistribuição foram endossadas pelas previsões da modelagem e novas pesquisas deverão focar na sociabilidade e preferências de habitat para melhor entender a vulnerabilidade desse emblemático psitacídeo brasileiro.

Autor(es): Thiago Orsi Laranjeiras - 



--
http://www.UnderGround.ORG.br/
ICQ.147889677